21 junho 2017

Uma história de aprendizado sobre o 2017 de até agora.


Dia 12 passou, com ele veio o dia dos namorados, os casais comemorando e os solteiros bebendo, rs. Foi uma festa., na minha faculdade muita gente foi beber (e se eu tivesse a grana teria ido também,rs). Todo lugar nessa época coloca promoções para namorados, e alguns lembram de nós também, meros solteiros.



Nunca fui afetada por esse dia, mas só nesses primeiros seis meses do ano já aconteceram tantas coisas, e aquele status de fotos do whats, ai aquele status, já acordei fui ver alguns e me deparei com algo que não sabia, fiquei confusa, não sabia se ia falar com o cara, ou deixava para lá, então eu deixei para lá.
Esse ano eu achei que o 'projeto mozão' iria sair, rs, não que eu esteja procurando alguém, sempre fui de boa, ficava mas nunca acaba em algo sério com alguém, mas ai final de 2016 chegou, e com ele, uma pessoa, falei para mim mesma que não iria pensar em nada, mas isso deu tanta história, tanto choro, tanto desabafo e noites ouvindo músicas tristes no Spotify só para ver se eu conseguia chorar, isso durou até umas semanas atras. Mas misturado com isso veio um cara que eu nunca imaginaria, ele veio, de primeira me apeguei, achamos melhor só amizade, resolvemos voltar, mas sem aquele 'estamos ficando', era algo sem compromisso, quando tínhamos vontade nós ficávamos, eu tinha amigos no mesmo curso e sempre aparecia nas aulas práticas para ver uma amiga (juro que era pra ver ela, e não ele), ele até me dava um oi, mas só essa minha amiga dali sabia, e eu consegui não me apegar, não me apaixonar, via ele apenas como um amigo (e eu tive muitos que eu fiquei e continuei a amizade, então por favor, não falem que se pegar estraga amizade), até que um dia, em uma crise por causa do cara de 2016 (tentamos a amizade, mas coisas complicadas acontecerem, e ao invés de lutar pela amizade, ele preferiu dar um tempo para que nós pensarmos e seguir em frente, para assim voltarmos a amizade de antes.) resolvi falar com o cara e dizer que aquela nossa pegação eventual não dava mais, era melhor só a amizade, e eu pensei que nem trocaria oi com ele mais, que nada, whatsapp rolava, oi na faculdade rolava.
Lembro que um dia a gente tinha uma prova no sábado e minha amiga querendo ir pra balada sexta, ok né, fui pra faculdade fiz prova e fui pro bloco dela com um amigo meu para ficar com a mochila dela para ela ir na balada, e nesse dia, eu estava meio mal mas falei: 'vou me arrumar', eu me produzi inteira, os amigos dela até acharam que eu iria junto, rs, e esse cara que eu pegava ocasionalmente nem um oi me deu, eu fiquei: 'nossa, então tá né.' e no dia seguinte no dia da prova, o ser chegou me deu oi, ficou conversando comigo, eu fiquei até surpresa.
E o dia 12 chegou, e eu pensei que seria como os outros, nada abalada, normal, mas esse dia 12, não foi, apesar de atolada dos trabalhos da faculdade, coisas do escoteiro e o blog, eu pensei nele, em tudo que aconteceu e que eu poderia ter feito diferente, impedido, para que ele pudesse estar aqui, me desse um bom dia, e me fizesse rir, como sempre fazia como o amigo idiota que ele era, mas é tanto sentimento, tanta coisa para digerir, aprender, que não rolou, e nesse dia 12 eu pensei em fazer igual um amigo, que foi beber, tentar esquecer e eu até poderia (tinha prova e mais nada depois, só esperar a van) mas preferi esperar vendo House of Cards, e tentando não lembrar de nós, de tudo que nos afetou.
E depois de escrever isso tudo me surpreendo, porque são tantas lembranças que passam na cabeça, principalmente do cara de 2016, e eu ouvindo músicas tristes da Pitty, AnaVitória e outras enquanto escrevo, a vontade de chorar vem, mas logo meu sorriso aparece ao lembrar de tudo que já aconteceu só nesse semestre de 2017, a gente vai aprendendo que na vida que nada é um erro, tudo é aprendizado, e se aconteceu assim é porque tinha que ser.




Redes sociais:
Instagram: @marjoriemts
Snapchat: /marjoriesilva
Facebook: /madrugadaestrelada

Um comentário:

  1. A vida da gente é tão complexa,ou nós que somos complexos?Ah,sei lá,mas a gente passa a vida tentando achar respostas pra tudo...mas pelo menos a gente tem histórias pra contar,lembrar,chorar...

    Beijos!
    http://renadamimada.blogspot.com.br

    ResponderExcluir